HGC a favor do emagrecimento

A luta contra a balança virou epidêmica e não faz somente parte das classes abastadas. A Obesidade assombra todas as classes, provando que não é só o excesso de alimentos que tem causado este problema tão sério, mas a forma de alimentação, isto é, a qualidade da alimentação. Diversos medicamentos foram e continuam sendo criados, mas o certo é que, até hoje, nenhum deles conseguiu a fórmula milagrosa do emagrecimento. Os que funcionam melhor provaram que conseguem provocar emagrecimento; entretanto, tão logo a pessoa para de usá-los, volta a engordar tudo aquilo que perdeu, por vezes ainda mais. Aceleradores, moduladores de apetite, bloqueadores de absorção, enfim, até medicamentos desenvolvidos para diabetes foram usados. No entanto, o arsenal das drogas para emagrecimento perdeu a guerra. Até mesmo a cirurgia bariátrica (popularmente conhecida como cirurgia de redução de estômago) tem tido resultados desanimadores no longo prazo: de cada dez pessoas operadas, nove voltam a engordar. Eis que um tratamento, proposto e realizado há mais de 60 anos por um pesquisador norte-americano chamado Dr. Simeons, chegou ao Brasil há pouco tempo e vem sendo aplicado com sucesso e índices de 70% de manutenção da perda após o tratamento. A proposta do tratamento é a utilização do hormônio HCG (Gonadotrofina Coriônica Humana), o mesmo produzido em altos níveis pelas mulheres durante a gravidez, e que é indicado aos homens para que, no corpo masculino, aumente a produção da testosterona. Ou seja, é seguro em ambos os sexos, desde que sejam observados critérios para avaliar se a pessoa pode ou não ser tratada com este protocolo. Ao contrário dos tratamentos existentes, este não pode ser simplesmente adquirido em farmácias comuns: as doses são de acesso exclusivo ao médico que possui o devido treinamento para a execução do protocolo. A ação do HCG nas doses recomendadas provoca uma queima de gordura e a dieta associada preserva a massa muscular. Portanto o emagrecimento é saudável e seguro, uma vez que o que se usa não são drogas que o corpo desconhece, mas uma substância conhecida do corpo humano. Além disso, todo tratamento deve ser indicado e acompanhado por especialista e por nutricionista com experiência no tratamento. Estudos trazem números animadores e é o que realmente temos comprovado em nossa prática. Homens perdem em média de 15 a 20 quilos, ao passo que mulheres de oito a 15 quilos em média, após os 40 dias de tratamento. Sem dúvida, é uma boa opção, desde que realizada por profissionais responsáveis e devidamente instruídos.